nepp

Medicina de família e comunidade

medicina familia 1
 Grupo de discussão coordenado pela pesquisadora Carmem Lavras

As pesquisadoras Carmem Lavras e Karen Sarmento Costa do Programa de Estudos de Sistemas de Saúde do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas (Pess/Nepp) participaram do 14º Congresso Brasileiro de Medicina de Família e Comunidade (MFC) realizado em Curitiba de 1 a 5 de novembro último.

O Congresso reuniu mais de cinco mil participantes, de todo o país, para discutir o tema central do encontro que era “Atenção Primária, acesso e cuidado centrado na pessoa”. O presidente da MFC, Paulo Poli Neto destacou, na sua apresentação, que “nosso objetivo é destacar em diversos espaços a responsabilidade que nós, da MFC, temos na construção de sistemas de saúde que ofereçam um melhor cuidado para as pessoas e que sejam mais sustentáveis”.

Esse Congresso foi diferente dos demais que ocorrem anualmente por todo o país. A começar pelo pequeno número de expositores e do grande número de inscritos, cinco mil, e é bom ressaltar que muitos desses participantes não contaram com ajuda oficial para inscrição, nem para transporte e hospedagem, vieram pelo interesse do tema a ser debatido. Os participantes estavam compenetrados em acompanhar as várias sessões de discussões que aconteciam simultaneamente. O evento teve como local o espaço da Expo Unimed, na capital paranaense. O centro de exposições e as salas multiuso somam 11.535m2 de área construída, distribuídos em dois pisos. São 15 entradas independentes e mais de 2 mil vagas de estacionamento, com serviços completos de apoio.

“A medicina da família vem crescendo em número e importância no país”, salientou Poli Neto. “E hoje em dia”, continuou, “não dá para imaginar um sistema de saúde sem o médico que faz esse primeiro contato com o paciente, que lide com problemas clínicos mais comuns e que acompanhe essas pessoas ao longo do tempo”.

 

Participação NEPP

Coube a coordenadora do Pess/Nepp Carmem Lavras apresentar o tema “Histórico e desafios atuais da Atenção Básica no SUS”. Essa apresentação, que ocorreu no dia primeiro de novembro, no chamado pré-congresso, fez parte da oficina promovida pelo Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), conduzida pelo Grupo de Trabalho da Atenção Básica durante o Congresso da MFC, intitulado “Contribuições para o Plano do Conasems de fortalecimento da Atenção Básica (AB) ”.

O segundo palestrante foi o secretário de Saúde do município de Goianésia (GO) Hisham Mohamad Hamida que discorreu sobre “A política nacional de Atenção Básica”. Mais de quarenta profissionais, de vários estados do país, participaram dos debates que vieram a seguir e durou quase que até o início da noite.

Carmem Lavras contribuiu na discussão e sistematização da roda de conversa durante a oficina. Coube a pesquisadora colaborada do Pess/Nepp Karen Sarmento secretariar, os debates “que foram de excelente nível e trouxeram propostas concretas para melhorar a Atenção Básica no SUS”, diz Karen. Todas as propostas apresentadas pelo público participante serão agora sistematizadas pelo GTAB com o apoio do Pess/Nepp e subsidiarão a elaboração do Plano Nacional de Fortalecimento da Atenção Básica do CONASEMS’.

 

 medicina familia 2
 Uma pose final do encontro que durou quase cinco horas

 

Mais informações