nepp

Uso racional de medicamentos

 1

Paulo Rocha apresenta projeto de uso racional de medicamentos para ABC paulista 

Teve início, no último dia 16 de agosto, a primeira oficina de trabalho organizado pelo Programa de Estudos em Sistemas de Saúde (Pess) do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas da Unicamp (Nepp) em apoio ao projeto de ação do Grupo Técnico de Assistência Farmacêutica que envolve sete municípios da região do ABC paulista.

Esse projeto, que é financiado pelo Plano de Ação Regional de Educação Permanente em Saúde, órgão da Secretaria Estadual de Saúde, tem como objetivo preparar ciclo de oficinas de qualificação na Assistência Farmacêutica nos municípios envolvidos no projeto visando fortalecer e qualificar a Política de Assistência Farmacêutica da região do ABC,  por meio das políticas da educação permanente e humanização, tendo como eixo norteador o Uso Racional de Medicamentos. A farmacêutica e pesquisadora do Pess/Nepp Karen Sarmento Costa dirigiu o encontro que contou com a presença de profissionais da área farmacêutica do DRSI – NAF II (Diretoria Regional de Saúde I – Núcleo de Assistência Farmacêutica II) e dos municípios envolvidos no projeto: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Karen Costa, que tem em seu curriculum larga experiência com o tema, foi   coordenadora nacional da Assistência Farmacêutica Básica do Ministério da Saúde (2009-2015) e responsável pela formulação e implantação do Programa Nacional de Qualificação da Assistência Farmacêutica (Qualifar-Sus) e Sistema Nacional de Gestão da Assistência Farmacêutica (Hórus), nos municípios brasileiros.

Ao abrir o encontro Karen Costa destacou que o Pess/Nepp tem um conjunto de ações e linhas de pesquisa que visam apoiar o fortalecimento do SUS e, em especial, o SUS no Estado de São Paulo. Ela salientou ainda que o Pess tem apoiado “esse grupo de farmacêuticos da região do ABC” na elaboração de instrumentos e definição de estratégias para o desenvolvimento do projeto. A reunião do dia 16 durou todo o dia e teve como objetivo primeiro alinhar os objetivos do projeto e definir as estratégias a serem adotadas pelo grupo para o desenvolvimento do projeto que tem duração de setembro de 2017 a maio de 2018 e prevê encontros com os profissionais de saúde dos sete municípios que, juntos, atendem uma população de 2,5 milhões de pessoas.

O lançamento oficial do projeto ocorrerá no próximo dia 5 de setembro, no município São Caetano do Sul com a presença dos secretários de saúde e todos os profissionais que atuam na área da saúde na região do ABC.

O coordenador da Assistência Farmacêutica de Ribeirão Pires, Paulo Cesar Rocha Lima foi designado, pelo grupo de farmacêuticos que participaram do encontro no auditório do Nepp, a apresentar as ações que devem ocorrer, ao longo dos sete meses de duração e financiamento do projeto. Paulo Lima destacou “é preciso mudar a imagem do profissional em farmácia do Sus que é visto apenas como responsável pela logística da entrega de medicamentos ou dispensário de remédios”. “É preciso”, diz ele, “que o farmacêutico seja incluído nas equipes de saúde e possa discutir junto com o médico e demais profissionais da saúde o melhor tratamento para o paciente e também que o farmacêutico possa orientar o planejamento terapêutico e no uso racional de medicamentos”.

As afirmações de Lima encontram respaldo nos dados estatísticos do Ministério da Saúde que apontam um número elevado de pacientes hipertensos que não seguem o tratamento adequadamente por falta de acompanhamento profissional. “O farmacêutico pode ajudar muito as equipes de saúde da atenção básica tanto no acompanhamento de pacientes como no cuidado com as reações adversas dos medicamentos”, destaca Paulo Lima.

A representante do NAF II Santo André, Janaina Carla da Silva, também fez questão de frisar que espera que o projeto consiga implantar uma nova mentalidade regional para a inclusão do farmacêutico no atendimento direto da saúde junto a comunidade. Ela afirma que “espera é que após nossos encontros os gestores da saúde mudem a estratégia com relação aos farmacêuticos que atualmente é visto apenas como responsável pela organização e dispensário de medicamentos. É preciso que esse profissional seja incorporado às equipes de saúde e exerça efetivamente o cuidado dos usuários do sistema de saúde”.

Já para a coordenadora de Assistência Farmacêutica de Diadema, Karina Santos Rocha a ajuda que o projeto pode dar à região do ABC “é trazer a ideia de um movimento importante dentro da região de sensibilização e mudança nas práticas do uso dos medicamentos e pensar no cuidado dos pacientes e não apenas nas caixinhas de medicamentos que eles fazem uso”.

O farmacêutico Felipe Tadeu de Carvalho, atualmente no cargo de coordenador adjunto da Regional de Saúde Leste do município de São Paulo também é um dos defensores dessa proposta e participou do encontro do dia 16, trazendo colaboração e incentivando os presentes pela sua experiência profissional dos anos que trabalhou no Ministério da Saúde. Ele destacou a importância do projeto dos sete municípios do ABC e a parceria com o Pess/Nepp que propõem o envolvimento “dos farmacêuticos e outros profissionais da área da saúde para que possam juntos, atuar nessa rede articulada que é a saúde e desenvolver ações voltadas para a educação dos usuários da rede pública e contribuir para a mudança de prática e promover a racionalização da utilização de medicamentos que vai desde a prescrição, a entrega do insumo”. “Essas ações articuladas”, diz ele, “visam responder a uma demanda social que está associada a utilização inadequada de produtos farmacêuticos para a saúde destacando a adesão muito baixa de uso de medicamentos por pacientes portadores de doenças crônicas e internações hospitalares em decorrência do mau uso dos medicamentos”.

 

 2

Carmem Lavras conversa com os farmacêuticos presentes ao encontro

 

A coordenadora do Programa de Pesquisa em Sistema de Saúde, médica sanitarista Carmem Lavras, que esteve presente ao encontro no período da tarde, destacou a importância do Pess/Nepp participar “em um projeto como esse, pois, a universidade deve ter respostas concretas para a demanda da sociedade”. Disse ainda é importante “estimular ações que visem o uso racional de medicação e para o Pess em estimular essa ação e apoiar o Sus São Paulo nas ações que visem a integração da assistência à saúde e o fortalecimento da atenção básica”.

Ao encerrar o encontro a pesquisadora Karen Costa destacou que “nossa expectativa é que, no final desse projeto, consigamos além de conscientizar os profissionais para o uso racional de medicamentos, aprimorar as práticas dos profissionais da saúde visando o cuidado mais efetivo da população”.

 3

Todos os participantes do encontro do dia 16 de agosto de 2017

 

 Karen Sarmento Costa Pess/Nepp:

 

Paulo César Rocha Lima – Ribeirão Pires:

 

Karina Santos Rocha – Diadema:

 

Janaina da Silva – Santo André:

 

Felipe Tadeu Carvalho – São Paulo: