nepp

REALIZADAS


DESIGUALDADE E POBREZA NAS FAMÍLIAS METROPOLITANAS: DIAGNÓSTICO E RECOMENDAÇÕES PARA A REDUÇÃO DAS DESIGUALDADES

Objetivos: O objetivo principal do projeto foi a análise dos aspectos que definem e limitam a superação da pobreza e da desigualdade de renda, tendo por referência a família. Nessa perspectiva, foram analisadas as principais políticas sociais de combate à pobreza e sua evolução na década entre os anos 2000 e 2010. Outro objetivo, ao identificar aspectos que afetam a desigualdade de renda, consistiu em recomendar ações que possam contribuir para sua redução e para o desenvolvimento social. as análises foram realizadas para o contexto metropolitano, identificado como espaço relevante para o estudo das desigualdades sociais. Nestes estão incluídas as nove regiões metropolitanas brasileiras e distrito federal - para as quais existem dados sistematizados pelo ibge para a década de 2000. os procedimentos metodológicos adotados foram de duas naturezas: análise documental e análise de dados empíricos. Realizou-se um retrospecto das principais políticas que afetaram a redução da pobreza e possibilitaram a redução da desigualdade na referida década, com base na análise documental e na bibliografia especializada sobre o tema. Foram analisadas e sistematizadas as políticas de recuperação do salário mínimo, a política previdenciária, os programas de transferência de renda, destacando-se os federais (benefício de prestação continuada (bpc), a bolsa família (pbf) e o pro jovem adolescente). No âmbito das áreas metropolitanas analisadas foram também sistematizadas informações sobre as políticas sociais de combate à pobreza presentes, possibilitando compreender as articulações entre as ações federais e municipais. A desigualdade e a pobreza foram investigadas a partir de dados oficiais referentes à década de 2000 e do processamento de microdados dos levantamentos anuais da pesquisa nacional por amostra de domicílios (pnad, ibge), tendo por eixo a exploração de elementos que afetam as possibilidades de enfretamento da pobreza e de redução das desigualdades, sob duas vertentes: a análise sob a ótica da família e a análise com foco na educação. Com base nesse diagnóstico social foram formuladas algumas recomendações.

Coordenadora – Dra. Lilia Terezinha Montali
Coordenadora adjunta – Stella Maria Barberá da Silva Telles

Pesquisadores
Marcelo Tavares de Lima
Fabiana de Andrade
Rodrigo Pereyra de Sousa Coelho
Elisiane Sartori
Jonas Bodini

Assistente de Pesquisa
Maurício Esposito

2010 – 2011
Financiador – CNPq

Projeto de Pesquisa de Transferência de Renda no Âmbito Municipal no Brasil

Objetivos: Organizar informações e ferramentas que oferecessem apoio para a implantação do projeto de Renda Básica de Cidadania em Santo Antonio do Pinhal. Atendeu a uma demanda da Prefeitura do Município de Santo Antônio do Pinhal no Estado de São Paulo. O projeto foi desenvolvido através do Convênio de Cooperação Técnica Não Reembolsável entre a Corporação Andina de Fomento (CAF) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) no âmbito do Projeto de Pesquisa de Transferência de Renda no Âmbito Municipal no Brasil, realizado entre maio de 2010 e novembro de 2011. Os principais objetivos do projeto foram: - identificar a situação social do município no momento anterior à implantação da RBC, para servir como linha de base para futuras avaliações, aqui incluindo: a caracterização socioeconômica do Município de Santo Antônio do Pinhal e a identificação dos programas sociais Federais, Estaduais e Municipais em execução no município de Santo Antônio do Pinhal; - registrar os passos dados e etapas percorridas no processo de mobilização social em direção à instituição e implementação da RBC e Santo Antônio do Pinhal; - apoiar a formulação da legislação que institui a Renda Básica de Cidadania e a instituição do Fundo Municipal da Renda Básica de Cidadania; - apoiar a criação de um banco de dados que possibilite identificar os residentes no município por meio do exame das distintas bases de dados atualizando as informações da situação econômico-social dos moradores do município.

Coordenadoras e executoras – Dra. Lilia Terezinha Montali e Dra. Ana Maria Medeiros da Fonseca
Coordenadora Adjunta – Dra. Ana Maria Alves Carneiro da Silva

Consultores externos
Anthony Baert
Fábio Ortiz Júnior
Luciana Ramirez da Cruz
Marcelo Eduardo Bufolin
Maria José Guarnieri A. C. Barbosa
Marina Passeto Nóbrega
Tereza Nakagawa

Assistente de Pesquisa
Caroline Gorski M. Araújo

2010 – 2011
Financiador – Corporação Andina de Fomento – CAF

Regiões Metropolitanas do Estado de São Paulo: família – trabalho sob a precarização do trabalho e as condições sociais – Etapa 2. Ano 2000: efeitos da precarização do trabalho e da ampliação das políticas de transferência de renda sobre as famílias

Objetivos: O projeto sobre os anos 2000 teve como objetivo aprofundar análises sobre pobreza e desigualdade e subsidiar discussões acerca de programas sociais de combate à pobreza. Deu continuidade ao estudo dos processos estudados na primeira etapa do projeto, analisando-os em um contexto com indicações de relativa recuperação da economia e de ampliação da cobertura dos programas de transferência de renda, sob o debate da redução da desigualdade de renda, a partir da metade da década. Delineou-se, especialmente a partir da segunda metade da década de 2000, um contexto com características distintas daqueles das décadas de 80 e 90 de baixo crescimento econômico. Objetivos específicos: pesquisar as mudanças na relação família-trabalho e as condições sociais considerando as mudanças na conjuntura econômica (sob a retomada do crescimento e com queda do desemprego até outubro de 2008 e crise após essa data); pesquisar os impactos das políticas de transferência de renda sobre as famílias nas três regiões metropolitanas paulistas. Busca indicações de redução da desigualdade a partir das famílias.
Dentre as diversas fontes o estudo utilizou como referência empírica o banco de dados da Pesquisa de Condições de Vida (PCV-2006) realizada pela Fundação SEADE, com representatividade estatística para as três regiões metropolitanas do Estado de São Paulo, para regiões do interior e para o total do estado. Utilizou também dados de pesquisa de campo sobre programas de transferência de renda realizada pelo NEPP no âmbito do Projeto FINEP (Convênio FUNCAMP 3595 – FINEP FNDTC/NEPP/ Regiões Metropolitanas).

Coordenadora e Autora – Dra. Lilia Terezinha Montali

Pesquisadores
Marcelo Tavares de Lima
Luciana Ramirez da Cruz
Pilar Guimarães

2008 – 2011
Financiador – CNPQ

Regiões Metropolitanas e Pólos Econômicos do Estado de São Paulo: desigualdades e Indicadores para as políticas sociais

FINEP. Convênio FUNCAMP 3595 – FINEP FNDTC/NEPP/Regiões Metropolitanas. Projeto interdisciplinar de iniciativa interinstitucional UNICAMP- NEPP Executor/ NEPO/IE. Agência: FINEP. Equipe Executora: Claudio Salvadori Dedecca (IE) – Executor, Coordenador/Lilia Terezinha Montali (NEPP) – Sub-executora, Coordenadora Adjunta/Rosana Baeninger (NEPO)/Eugênia Troncoso Leone (IE) Integrante/Stella Barberá da Silva Telles (NEPP) Integrante/Maria Inês Caetano Ferreira – Integrante /Marcelo Tavares de Lima – Integrante/Fabiana de Andrade – Integrante.
Objetivos: O projeto tem o propósito de produzir um mapa da dinâmica socioeconômica do Estado com foco nas regiões metropolitanas e em alguns pólos regionais, que possibilite acesso estruturado e rápido à informação básica para a elaboração e implementação das políticas públicas para o desenvolvimento estadual. Além do diagnóstico social desenvolvido, outro objetivo foi a construção de um Sistema Integrado de Informação, visando atender demandas específicas, apresentando indicadores sintéticos capazes de subsidiar o processo de decisão das políticas públicas nas distintas espacialidades regionais do Estado de São Paulo.Três eixos temáticos são adotados na análise e no sistema informação produzidos: economia e trabalho; dinâmica demográfica; proteção social. Os dois primeiros eixos articulam as dinâmicas econômica, social e demográfica. O último congrega, no âmbito das políticas públicas, o acesso dos segmentos específicos da população, a disponibilidade de equipamentos e de serviços pelos órgãos competentes e o perfil das recentes políticas de transferência de renda. Este projeto visou: contribuir para a compreensão da complexidade econômica e social presente no estado; contribuir para o desenho e a gestão das políticas públicas voltadas para o Estado de São Paulo. Pesquisa desenvolvida conjuntamente pelo Núcleo de Estudos de Políticas Públicas (NEPP), Núcleo de Estudos de População (NEPO) e Instituto de Economia, instituições de pesquisa da Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP. Realizada com recursos da FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia), obtidos por concurso da Chamada Pública MCT/FINEP/FNDCT – Pesquisa em Ciências Sociais 04/2006.

Coordenadores – Dra.Lilia T Montali e Prof.Cláudio Salvadori Dedecca

Pesquisadores
Rosana Baeninger
Eugênia Troncoso Leone
Stella Barberá da Silva Telles
Maria Inês Caetano Ferreira
Marcelo Tavares de Lima
Fabiana de Andrade

2006 – 2009
Financiador – FINEP Financiadora de Estudos e Projetos e por iniciativa interinstitucional – NEPP, NEPO e Instituto de Economia da UNICAMP

Regiões Metropolitanas do Estado de São Paulo: mudanças na relação família-trabalho sob a precarização do trabalho e as condições sociais nos anos 90. Etapa1

Objetivos: A pesquisa comparada das três regiões metropolitanas (RM) paulistas trata das questões relacionadas à piora das condições sociais nos anos 90, expressa pelo empobrecimento das famílias, bem como as mudanças na relação família-trabalho , tendo por referência os impactos diferenciados da reestruturação produtiva e do baixo dinamismo da economia do país em cada uma dessas áreas geográficas.
O projeto visa ainda, através da análise comparada, verificar quais achados de pesquisa dos processos e tendências identificados para a Região Metropolitana de São Paulo podem ser generalizados para as outras duas regiões metropolitanas do Estado de São Paulo e testar alguns indicadores desses processos para as demais regiões metropolitanas brasileiras, utilizando dados censitários dos anos de 1991 e 2000.
Um dos temas centrais abordados no âmbito das regiões metropolitanas é a precarização do trabalho e das condições sociais. No caso da RMSP, os estudos sobre as mudanças no mercado de trabalho nos anos 90 oferecem elementos para compreender como se relacionam a “desestruturação generic tramadol 50mg do mercado de trabalho”, identificada como a presença simultânea e combinada do desemprego aberto em larga escala, do desassalariamento e geração de postos de trabalho precários e a precarização das condições sociais na Região Metropolitana. Procurou--se conhecer como tais processos afetaram o empobrecimento e as condições de vida das famílias metropolitanas nos espaços paulista e brasileiro.

Coordenadora e Autora – Dra.Lilia Terezinha Montali

Pesquisadores
Clarissa Christianne R. Souza
Luciana Ramirez da Cruzp
Marcelo Tavares de Lima

2005 – 2008
Financiador – CNPq e FAEPEX/Unicam